Finanças Poupança

Os melhores destinos low cost para aplicar o reembolso do IRS

Viagens baratas 2018
Written by Gisela Marques

Vai receber o famigerado reembolso do IRS e ainda não marcou férias? Os reembolsos serão entregues em 2018 entre o final de Abril e 31 de Julho. Ainda que tenha de ser regrado e fazer alguma contenção, é preciso tirar uns dias de descanso. E mesmo que opte por passar uns dias pela cidade ou em casa de família ou amigos – para poupar e a organizar os próximos meses – aproveitar uns dias para relaxar, enriquecer-se e desfrutar da companhia de quem mais gosta, não só faz sentido, como opera milagres na saúde. Parta para viajar e recarregar baterias, em modo bom e barato.

Sugerimos 5 dos destinos baratos na Europa em 2018. Quem pensa sair do país, acaba por poupar por vezes mais do que cá dentro. Todos os anos, vários organismos internacionais, media especializados, guias prestigiados, entre outras fontes credíveis, publicam tabelas de preços actualizados, atendendo critérios básicos de custos obrigatórios para quem viaja.

Sofia, Bulgária

Em 2018 a capital da Bulgária, na península dos Balcãs, no sul da Europa, é a campeã dos preços baixos. O hostel mais barato pode custar 5, 85 euros/noite (e hotéis de 4 estrelas entre 40 e 60 euros). Estima-se um custo médio diário, com tudo incluído, de 22,30 euros. Se no Inverno pode visitar a cidade e aproveitar a neve nas montanhas a 30 minutos de distância, no Verão pode aproveitar toda a história, cultura, gastronomia e entretenimento à disposição. Não esquecer a Catedral de Alexandre Nevsky, as Igrejas de Santa Sofia, São Nicolau e de Boyana, o Teatro Ivan Vazov, o Mosteiro de Rila, a Montanha Vitosha, os Museus de História Natural, Militar, de Arte Socialista e Instituto Etnográfico, o Mercado Central de Sofia, os Banhos Públicos Minerais e o comercial Boulevard Vitosha.

Bucareste, Roménia

A capital da Roménia, desconhecida por muitos, está a reciclar-se em ritmo acelerado, depois de ultrapassar os danos da ditadura. Desde 2007 que pertence à União Europeia. Em 2018 o custo diário aproximado é de 24, 25 euros dia, sendo que o hostel mais barato será 7 euros por noite e em refeições poderá gastar cerca de 10 euros. Na cidade cheia de vida e animação efervescente, o espaço urbano é marcado pelo convívio do antigo e do moderno e por influências da cultura ocidental e oriental. Fora da cidade os castelos medievais bem conservados (como o de Bran, que deu origem à lenda do Conde Drácula), são pontos de interesse. Lá dentro, são dignos de nota o Palácio do Parlamento, o Memorial do Renascimento, os Museus Nacional de Arte, de Arte Contemporânea e de Aldeia, a Catedral Patriarcal da Roménia e as muitas igrejas ortodoxas espalhadas pela cidade, o Clube Militar e zona cultural alternativa (de restaurantes e bares) entre a Avenida Vitória e do Rio Dîmbovita.

Istambul, Turquia

Eis a cidade por excelência dividida entre dois mundos, ocidente e oriente, e por isso uma das mais fascinantes da Europa – talvez até aquela que nos trará a maior sensação de vivermos uma experiência distinta da nossa, como se fossemos para outro continente a preços reduzidos. A antiga Constantinopla já foi a capital dos impérios Romano, Bizantino e Otomano. O custo médio por dia está nos 29,37 euros e o hostel mais barato custará 6, 25 euros noite. Em refeições gastará perto de 8 euros. Entre os pontos de interesse dignos de visita estão a Praça Taksim, Torre e Ponte Gálata, a Basílica de Santa Sofia, a Mesquita Azul, a rua comercial de Istiklal, o passeio de barco pelo estreito do Bósforo (e paragem no bairro de Ortaköy), o Palácio Topkapi ou o mercado Grande Bazar.

Kiev, Ucrânia

Eis Kiev, a capital de um país cuja cultura balança entre a ligação à antiga URSS e a actual proximidade da Europa e acordos com a União Europeia. O custo médio por dia em 2018 ficará nos 25, 55 euros, o hostel mais barato a 6, 50 euros noite e as refeições a uma média de 6, 15 euros. A cidade cheia de cor nasce numa série de colinas, como Lisboa, e também em cima do Dniepr, um rio muito largo. Para a conhecer melhor, é bom não passar ao lado da Praça da Independência (Maidan), de (mais uma) extraordinária Catedral de Santa Sofia, da Catedral de São Miguel e do Mosteiro das Grutas; ainda dos Museu da Aviação, Ópera Nacional, ruas comerciais de Khreshchatyk e Andriyivsky Uzviz, o Museu de Arte Nacional e, nos arredores, Chernobyl e o seu museu.

Belgrado, Sérvia

Apesar das cicatrizes da guerra, Belgrado encontrou uma vocação turística talvez inesperada. A capital da Sérvia que se encontra na confluência dos rios Danúbio e Sava, renasceu. Belgrado é separada entre os lados antigo e novo, um de cada lado dos dois rios. A expansão para a outra margem chegou às cidades de Nova Belgrado e Zemun, que acabaram por ser incorporadas, destacando-se, por isso, a coabitação de uma arquitetura mais moderna com outra mais histórica. Neste momento o custo aproximado da estadia/dia é de 24, 50 euros. O hostel mais barato fica a 6 euros por noite e gastará em refeições 9, 60 euros. Entre prédios bombardeados feitos atracção turística, templos e parques, tudo é possível visitar.  Não esquecer os Museus Histórico da Sérvia, Nicola Tesla e Zepter, a Catedral de São Miguel, o Teatro Nacional, o Mausoléu de Tito, a Fortaleza de Belgrado, o Aquário Público ou a zona comercial de Knez Mihailova.

Veja também: O que fazer aos reembolsos de IRS?

Sobre o autor

Gisela Marques

Deixe o seu comentário: