Poupança

Dados móveis – 10 dicas para poupar dinheiro

Dados móveis - poupar dinheiro
Written by Gisela Marques

No seu esforço para encontrar focos de poupança deverá ter em conta a utilização de dados móveis que facilmente pode ter um custo elevado. Neste artigo vamos dar-lhe 10 dicas para poupar dinheiro na utilização de dados móveis.

A utilização de dados móveis tem vindo a aumentar

É inegável a nossa crescente necessidade de internet em períodos de lazer ou de deslocações diárias – e para as mais prosaicas questões da vida quotidiana. O tempo é escasso e exige-nos fazer e ler coisas em tempos ‘mortos’, como a hora de almoço, o caminho para o trabalho, para o supermercado ou até para o cinema.

Precisamos de pagar contas, aceder a serviços estatais, informações escolares, abrir o vídeo do amigo (que não vemos há tempo!) ou saber da proximidade de uma farmácia ou restaurante. Mas é assim que o consumidor vê a operadora taxá-lo com pacotes de dados extra, situação que onera em muito a factura mensal em comunicações.

 Segundo o relatório Cisco Visual Networking Index sobre o tráfego global de dados móveis 2014 – 2019, o consumo dos dados móveis será dez vezes maior que o actual. Em 2014, o tráfego de mensagens, imagens e vídeos foi de 30 exabytes e para 2019 prevê-se que seja de 292 exabytes.

A boa notícia é que…podemos facilmente melhorar os gastos pessoais. Deixamos aqui uma série de procedimentos que podem fazê-lo poupar ao fim do mês. Atente nestas pistas e leve algumas lá para casa:

1)Actualizações e downloads apenas em Wi-Fi

Nunca se esqueça do básico. Configurar as actualizações do sistema ou baixar aplicações só com Wi-Fi. É muito mais rápido e poupa nos dados.

2) Não faça o upload de fotos ou vídeos quando estiver na rua

Ver um vídeo de um artista de que gosta ou de um blogger que segue por via de aplicações consome muitos dados móveis. O mesmo quando quer ver as fotos que lhe enviam pelos grupos pessoais em várias aplicações, como o Whatsapp. Prefira fazê-lo quando tem Wi-Fi.

Por exemplo, uma novidade implementada pelo Facebook há cerca de dois anos – a reprodução automática de vídeos – é uma funcionalidade imediata que contribui muito para o desperdício de dados quando está simplesmente a navegar pelo feed de notícias. Desactive esta função e poupe.

3) Aceda a serviços de streaming com o Wi-Fi

O mesmo se passa com todos os serviços de streaming, como a música que ouvimos vulgarmente em várias aplicações. Espere por chegar a casa. Caso não consiga, deve configurar as definições para ouvir música num nível de qualidade um pouco inferior ou comprar um pacote premium de apps de streaming, como o Spotify, que permite baixar as músicas e ouvi-las offline. Deve fazer o download de playlists e álbuns previamente, via Wi-Fi.

Com vídeos é um processo parecido. Por exemplo, o Netflix já permite o download antecipado de alguns de seus conteúdos. Há ferramentas, como o TubeMate, para Android, o Documents5, para iOS e Mac ou o ClipConverter, que já permitem ver conteúdos sem acesso a internet. Como parte delas não são ‘oficiais’ para Google, Apple ou Microsoft, é preciso ter cuidado com o chamado software malicioso.

4) Prefira aplicações de mensagens e evite voz e vídeo

Opte por enviar uma mensagem instantânea, em vez de fazer uma ligação de voz ou vídeo para poupar os seus dados. No entanto, se precisar de falar por videochamada, opte por recorrer à aplicação do Skype ou, se tiver um sistema IOS, o Facetime.

5) Evite apps com publicidade excessiva e bloqueie os anúncios

Os anúncios e ‘pop-ups’ que aparecem quando está a navegar na Internet ou aplicações que tem disponíveis também consomem bastantes dados – além de atrasarem a pesquisa. Existem aplicações específicas para os sistemas operativos de cada telemóvel, que bloqueiam estes anúncios. Tem, por exemplo, o Opera, para Android, e o AdBlock, para IOS.

6) Verifique os dados consumidos em segundo plano

A utilização de dados em segundo plano não requer qualquer ação por parte do utilizador. Nestas incluem-se as actualizações automáticas de aplicações ou as transferências de e-mail automáticas. Se for a Configurações > Uso de dados > Uso de dados da rede móvel, verá uma lista completa das aplicações em actividade e os dados que estão a usar. Se selecionar um deles, aparecerão os dados utilizados em primeiro e em segundo plano, e haverá a possibilidade de restringir os dados em segundo plano de cada app.

7) Salve documentos no dispositivo

Os serviços de nuvem são bons, mas alguns arquivos mais usados, como livros ou documentos importantes do Drive pessoal (google Drive, etc), podem ser salvos diretamente no aparelho, economizando dados.

Utilizar aplicações que usam mapas e geolocalização podem gastar muitos dados. Utilize os mapas de maneira offline, descarregando-os antes de ir para o local onde vai usá-los. É evidente que vai utilizar espaço da memória do telemóvel, mas poupa nos dados móveis.

 8) Reduza o consumo de dados no Chrome

Se usa o navegador do Google é possível reduzir o uso de dados ao comprimi-los, caso use Android. Para isso, abra o Chrome e vá a Menu > Configurações > Economia de dados. Ele vai concentrar imagens e outros ficheiros de que não precisa e que lhe estão a consumir dados.

9) Tenha uma app de gestão de dados – controle os gastos!

A sua operadora disponibiliza-lhe informação relativa a faturas, plafond de dados, minutos e SMS grátis que ainda tem disponíveis, entre outros detalhes relativos a cada tarifário. Pode fazê-lo por meio de uma aplicação, do site da operadora ou de sms – é fundamental conhecer o processo.

Existem outras aplicações com informações ainda mais discriminadas sobre os seus gastos de dados móveis, como é o caso da My Data Manager, Opera ou Onavo. Alguns compactam vídeos, fotos e outros ficheiros sem muita perda na qualidade. Mostram-lhe também quanto é que cada app está a gastar de internet através de uma demonstração de gráficos com a média de utilização. Para além disso, pode definir alarmes para saber quando está a ultrapassar determinado limite de dados.

10)Verifique onde estão os hotspots

Os hotspots são zonas definidas pelas operadoras, a partir das quais pode aceder a internet grátis. E não se limitam ao território português, estando espalhadas por todo o mundo. Para beneficiar do hotspot, basta iniciar sessão com o seu registo de cliente. Depois, navegue por quanto tempo quiser e sem qualquer custo associado.

Caso já tenha aplicado todas estas medidas e, ainda assim, o que paga está muito acima do que pode gastar, é provável que esteja com um tarifário errado para o seu perfil ou que esteja há muito tempo com o mesmo. Não se esqueça que actualmente o mercado tem uma oferta grande e que pode e deve, com alguma periodicidade, verificar as propostas que melhor servem os seus interesses para otimizar o seu orçamento familiar. Para não perder muito tempo, consulte, por exemplo, os diversos simuladores do site da ANACOM, para se informar dos planos disponíveis.

Sobre o autor

Gisela Marques

Gisela Marques é formada em comunicação social. Trabalhou sobretudo na imprensa escrita na área cultural, tendo passado pelos universos da edição e do audiovisual. Faz crítica especializada para a imprensa e escreve na Carteira sobre temáticas diversas, da Cultura às Finanças Pessoais.

Deixe o seu comentário: