Crédito

Cartão de Débito ou Cartão de Crédito – Qual preferimos?

cartão de crédito
Written by A Carteira

O crédito tem sido disseminado ao longo dos últimos anos. Cada vez mais pessoas têm acesso ao crédito por diversas vias e chega-se mesmo a pensar no crédito como algo natural no nosso dia-a-dia. No entanto, como escolher entre usar o cartão de débito ou o cartão de crédito?

Características do cartão de débito

O cartão de débito é um simples cartão com um número, uma banda magnética e um código PIN de 4 dígitos que permite aceder instantaneamente à nossa conta bancária. As suas funcionalidades são simples e conhecidas da maioria das pessoas:

  • Fazer levantamentos numa caixa multibanco;
  • Fazer compras e pagamento de serviços;
  • Transferir dinheiro;
  • Consultar movimentos e saldos.

O cartão de débito costuma ter associada uma comissão anual que poderíamos ser tentados a pensar que serviria para suprir o custo do cartão mas que mais não é do que uma forma adicional dos bancos nos cobrarem comissões (que rondam atualmente os €15-€20 por ano, dependendo dos bancos).

Características do cartão de crédito

Talvez por uma questão cultural tendamos a desconsiderar os cartões de crédito e esquecer-nos que estes cartões permitem todas as valências que apontamos anteriormente aos cartões de débito e mais algumas. Sim, os cartões de crédito são ferramentas mais completas do que os cartões de débito. Podemos dizer que têm bastantes mais vantagens que importa conhecer, nomeadamente:

  • Centralização do pagamento das compras num único dia do mês;
  • Possibilidade de ter acesso a crédito sem juros (se pagarmos tudo a 100%);
  • Outras vantagens associadas, como programas de milhas ou ofertas muito interessantes;
  • Seguros associados gratuitos;
  • Possibilidade de isenção de comissão anual (muitos cartões são já isentos desta comissão por defeito).

Porque tendemos a não gostar do cartão de crédito?

Muitas famílias têm o cartão de crédito apenas por imposição do seu banco no momento da contratação do crédito habitação. Para permitir o acesso a uma bonificação no spread (atenção que são já vários os bancos que permitem “fugir” a este cross-selling) os bancos solicitam a contratação de alguns produtos como sendo:

  • Cartão de crédito;
  • Seguro de vida do crédito habitação;
  • Seguro multirriscos;
  • Subscrição de um PPR ou de outro produto de poupança;
  • Domiciliação de pagamentos (o objetivo é que o cliente passe a fazer os seus gastos do dia-a-dia nesta conta).

É muito interessante que tendemos a olhar para o cartão de crédito como algo facilitador do consumo mas olhamos para o endividamento neste cartão com muito maus olhos. Talvez seja mesmo por este fator. Acabamos por nos arrepender de fazer as compras e culpamos o cartão de crédito por isso. No final de contas sobreestimamos a nossa capacidade para pagar a dívida a 100% (para evitar o pagamento de juros) e pagamos as taxas mais elevadas do mercado.

O cartão de débito é usado como mecanismo de controlo

Tendo em conta as vantagens evidentes do cartão de crédito face ao cartão de débito deverão existir certamente motivos que nos levam todos a preferir utilizar o cartão de débito para as nossas transações do dia-a-dia. Podemos destacar:

  • Aversão à dívida – Somos avessos à divida, o que significa que devemos preferir pagar as nossas compras antes de consumir, não acumulando uma dívida para pagamento futuro;
  • Controlo – É mais difícil controlar os movimentos do cartão de crédito pois teremos de consultar o nosso homebanking ou outro aplicativo equivalente. Este maior descontrolo pode induzir mais dívida, que depois se torna difícil (ou mesmo impossível) de eliminar.

Na prática, parece-nos que o principal motivo é mesmo o facto do cartão de débito ser um mecanismo de autocontrolo mas que acaba por ter um custo acrescido (comissões, perda de vantagens, menos seguros). Para a maioria das famílias faz sentido contratar o sistema de pagamento à vista do cartão de débito. Mas aí torna-se mais difícil de perceber a opção pelo endividamento por via da conta ordenado. Nunca nos esqueçamos que são poucas as coisas na vida que são boas ou más à partida. O que torna um cartão de crédito algo errado é a má utilização que lhe podemos dar.

Sobre o autor

A Carteira

A Carteira é constituída por uma equipa de profissionais com muita experiência no setor financeiro. A nossa missão é ajudar as famílias a ter uma melhor relação com o dinheiro. Acreditamos que é possível poupar dinheiro, investir tempo e dinheiro na melhoria das nossas condições de vida. E estamos cá para ajudar com os conteúdos para que possa tomar as melhores decisões financeiras.

Deixe o seu comentário: