Seguros

Como desistir de um seguro automóvel?

poupar nos seguros
Written by A Carteira

Não somos obrigados a manter um seguro automóvel. Podemos desistir do seguro automóvel por um conjunto de motivos que importa conhecer. Veja de seguida como desistir do seguro automóvel.

Deixar de pagar

A principal forma de desistir de um seguro, qualquer que ele seja, passa por deixar de o pagar. Esta é a principal forma de anular uma apólice e sem grandes chatices (tirando o caso do seguro de vida associado ao crédito habitação que pode trazer problemas). Na prática, quando se aproximar a data de pagamento do seu seguro automóvel basta encontrar uma seguradora mais competitiva no preço. Faz uma nova apólice (para não andar sem seguro automóvel) e cancela o débito da apólice anterior. Simples?

Tenha em atenção que se quiser mudar de seguradora só o poderá fazer por deixar de pagar ou na renovação da apólice. Se decidir mudar a meio saiba que não irá ter o estorno do valor pago em demasia.

Vender o automóvel

Uma segunda forma de anular o seguro automóvel e aí sim pedir o estorno do valor pago a mais passa por vender o seu automóvel. Se vendeu o carro pode informar a companhia de seguros com quem tinha o seguro, comprovar que se deu a venda e pedir a anulação da apólice.

Tenha em atenção que se vendeu o carro o comprador não pode ficar com o seu seguro automóvel. A cobertura cessa no momento da venda e o comprador tem de ter uma nova apólice, calculada com os critérios da seguradora para aquele condutor e carro específico.

Cuidados a ter

Deixamos alguns alertas que deverá ter em conta. Em primeiro lugar, temos de ter sempre um seguro automóvel, pelo menos com as coberturas de responsabilidade civil. E temos de ter um seguro não tanto pelas multas mas mais pela grave responsabilidade que pode surgir em caso de não ter um seguro e ter um sinistro. Imagine as consequências de matar alguém numa passadeira sem um seguro?

Um segundo alerta passa por determinar as coberturas que deseja e que se adequam às suas necessidades. De pouco vale pagar por coberturas que não valoriza. E de muito vale termos as coberturas que se adequam as nossas necessidades. Por exemplo, são poucas as pessoas que não têm a cobertura de quebra isolada de vidros mas… quando acontece um sinistro o reduzido prémio teria sido um grande investimento, porque os vidros são caros.

Por fim, tenha em atenção o nível de serviço da companhia de seguros. Podemos ter um seguro muito barato mas se a assistência for má a experiência que terá será muito penalizadora. Isto porque só usamos o seguro quando precisamos, e quando precisamos estamos muito sensíveis

Sobre o autor

A Carteira

A Carteira é constituída por uma equipa de profissionais com muita experiência no setor financeiro. A nossa missão é ajudar as famílias a ter uma melhor relação com o dinheiro. Acreditamos que é possível poupar dinheiro, investir tempo e dinheiro na melhoria das nossas condições de vida. E estamos cá para ajudar com os conteúdos para que possa tomar as melhores decisões financeiras.

Deixe o seu comentário: